Colunista Bruno Pavan Destaque

A PRATA DESVALORIZADA

A seleção masculina de Vôlei ganhou uma merecida medalha de prata em Londres. É louvável um selecionado que consiga se manter tanto tempo no topo. Esse geração, de Giba e Serginho, ganhou três medalhas olímpicas e isso, definitivamente, não é pra qualquer um.

Na chegada ao Brasil, porém, Giba disse que Bernardinho tinha “acostumado mal os brasileiros” e que o segundo lugar não era valorizado no país. Porém, bastava olhar para os jogadores no pódio que era perceptível que eles também não estavam felizes ali.

Injusto dizer que o brasileiro não respeita o segundo lugar. Isso é do ser humano. O campeão é muito mais valorizado, quer queira, quer não. Aposto que os americanos não fizeram passeata para a seleção feminina medalha de prata no vôlei.

A diferença é que a população brasileira tem muito menos esportes de alto nível para torcer. A expectativa é sempre alta. Mas os espanhóis por exemplo, que foi muito mal em Londres, cobraram muito de sua delegação. Assim como os alemães, que não receberam nenhuma medalha na natação e os australianos.

O vôlei nunca teve tanto espaço no Brasil como de 10 anos pra cá. E com muito mérito, diga-se de passagem. O esporte é o segundo mais popular no país, com sobras. Não alcançará o futebol, porque este é muito mais que um esporte.

Fora que a cobrança em cima do time de futebol é infinitamente maior (e tem que ser). Agradeçam que vocês podem comemorar a medalha de prata. Se Neymar e companhia pedissem festa pela prata, provavelmente levariam tomates.

Bruno Pavan

bruno.pavan@yahoo.com.br

bruno.pavan@andressoares.com