Crônicas Destaque

ADEUS NÃO. ATÉ BREVE!

O futebol é o esporte onde os gênios costumeiramente surgem. Eles surgem num campo de terra, ou na rua e até mesmo na quadra da escola. Mostram uma habilidade acima do normal e com isso começam a mostra uma diferença entre as demais crianças.

Alguém de sensibilidade olha e pensa: “Esse garoto pode ser o próximo Pelé. Ele tem habilidade do Maradona. Assim ele pode ser jogador de futebol.” Logo após surge o convite de fazer um teste num time grande.

Tudo começou no campo do São Cristovão. Um garoto franzino tinha uma arrancada fenomenal, fora o controle de bola e com um arremate acima do normal. Nesse momento o treinador olhou e disse: “Ele não pode ficar aqui. O Mundo será o seu limite.”

Após isso foi convidado a fazer um teste no Cruzeiro. O garoto franzino com um olhar triste e ao mesmo tempo esperançoso entra em campo para fazer o seu teste sem imaginar o que ele iria construir com o futebol.

Aos 17 anos fez seu primeiro jogo no profissional no time da Raposa. Foi o primeiro passo para conquistar o Mundo. Em impressionáveis seis jogos, ele marcou cinco gols. Uma media alta para apenas um garoto que ninguém conhecia. Com essa apresentação resultou para a sua primeira convocação para a seleção sub 17.

No torneio ele chegou à marca historia de oito gols sendo artilheiro absoluto da competição. Com a volta para o seu clube e dando continuidade as suas boas apresentações, não teve como Carlos Alberto Parreira, treinador da Seleção Brasileira, deixar o garoto de 17 anos fora da Copa de 1994.

Mesmo sem jogar uma partida, o garoto de 17 anos mostrou que tinha estrela. Foi o seu primeiro titulo Mundial defendendo a seleção.

Como o seu primeiro treinador disse: “O Mundo é o seu limite”, o garoto embargou para jogar na Holanda. Não demorou muito para que as arrancadas e as conclusões certeiras começassem a chamar atenção do Mundo do futebol.

Depois foi o Barcelona que contou com o grande futebol do garoto, que agora não era mais franzino e estava se tornando uma realidade no Mundo do esporte. Na equipe Catalã o futebol rápido, talentoso e de muita força foi dando espaço ao “Craque”.

Com atuações memoráveis, o seu nome se tornou uma constante na lista de convocação da seleção brasileira. Foi considerado melhor do Mundo por três oportunidades e mostrando que o garoto estava se tornando homem e um homem valioso para o outro lado do futebol. O lado dos negócios e marketing.

O que ninguém esperava aconteceu. O craque forte, veloz, habilidoso sofreu a sua primeira contusão. Não foi uma simples contusão, foi à contusão. Com o rompimento da rotula, ele ficou 2 anos afastado do futebol.

Todos garantiam que ele não voltaria mais a jogar e que a sua carreira estava acabada. Ele era o único que confia nele mesmo e em sua recuperação. Foram dias de angustia, dias de tristeza e uma luta solidaria para que pudesse pelo menos colocar os pés no chão e andar sem ajuda de muletas.

Foi ai que surgiu o “Fenômeno”. Quando ninguém esperava, ele voltou. Deu a volta por cima e para confirmar o nome de “Fenômeno”, ele venceu a Copa de 2002 e foi artilheiro da mesma. Que volta por cima.

Após ressurgimento do “Fenômeno”, o Real Madrid resolveu contar com o futebol do craque e montou um time galáctico com Zidane, Beckham e Cia. Mesmo em ótima fase, ela voltou. A contusão.

Foi mais um ano longe dos campos voltando à mesa de cirurgia e a sala de fisioterapia. Mais uma vez ele ressurgiu das cinzas. A única diferença é que o corpo já estava ficando desgastado e as recuperações estavam sendo um sacrifício.

Diante a tantas dificuldades, o seu nome não deixa de figurar na lista da seleção brasileiro. Com isso ele se tornou o maior artilheiro de todas as Copas com 15 gols. Até hoje esse recorde nunca foi alcançado.

Mesmo depois de tantas recuperações, ela insistia em não deixá-lo. Jogando pelo Milan o “Craque Fenômeno” teve mais uma contusão gravíssima no joelho. Outra ruptura da rotula. Foram mais um ano e seis meses fora dos gramados.

Agora com trinta anos de idade, todos cravaram que ele não voltaria mais. Era fim da maior estrela do futebol. Era o fim do garoto prodígio. Era o fim do maior artilheiro de todas as Copas. Era o fim.


Como uma fênix ressurgindo das cinzas ele surpreende o mais pessimista e voltou a jogar futebol. Agora ele resolveu voltar para o Brasil e a jogar num dos maiores clubes do país, o Corinthians. Um clube de massa repleto de problemas onde o último presidente deixou um desfalque de 48 milhões de dólares e é um clube que sempre está preste a explodir.

Mesmo assim ele resolveu encarar esse novo desafio. Só foi pisar em campo para poder sentir o calor da torcida, os gritos ovacionando a cada toque de bola e o prazer de velo em campo. Na sua primeira partida não foi uma das melhores e o gostinho ficou para a próxima partida.

Nada mais e nada menos ele estava em campo enfrentando o seu primeiro clássico. Quando a estrela brilha, tudo de bom pode acontecer. Nessa partida o Corinthians estava perdendo por 1×0 e aos 43 minutos do segundo tempo, ele empatou a partida e da forma que ele não gosta de fazer, foi de cabeça. Com tanta alegria explodindo, nem o alambrado suportou e veio abaixo.

Foi amor a primeira vista.

Daí pra frente foi um semestre perfeito. Dois torneios e dois títulos. Isso era uma resposta para aqueles críticos pessimistas que achavam que o “Fenômeno” tinha acabado.

Mesmo com tantas alegrias, ela insistia em atormentá-lo.  As contusões começaram a ser mais freqüentes e as dores não deixavam mais o seu corpo em paz. Foram oito cirurgias, recuperações que ninguém achava que voltaria a andar e que estava acabado para o futebol.

Ele mostrou todas as vezes que é um “Fenômeno”. Sempre se levantou cada vez mais forte, com vontade de vencer e deixar a sua historia gravada. Enfrentou a fúria da torcida, após eliminações da Libertadores, mas sem correr da briga ele estava lá de pé para continuar.

Mas tudo que é bom sempre chega ao fim. E o “Fenômeno” chegou ao fim, ao fim não, mas até breve.

O dia 14 de fevereiro de 2011 vai entrar na historia do futebol. É o dia em que o Fenômeno Ronaldo Nazário anunciou a sua aposentadoria.

Obrigado pelos gols marcados, pelas vitorias conquistas e ter escolhido o Corinthians para encerra a sua carreira.


Escrito por André Soares