Colunista Bruno Pavan Destaque

CBF FRITA MANO MENEZES

Nesta sexta-feira (23/11) Mano Menezes foi demitido do comando da Seleção brasileira, aquela da CBF. Marín e Marco Polo Del Nero se reuniram e uma das pautas da conversa seria a troca do técnico. O mais provável é que Felipão ou Muricy assumam, em caso de demissão.

O trabalho de Mano nesse dois anos e meio está longe de ser brilhante. Na única competição importante que foi testado, a Copa América, fracassou. Mas não há motivo para mandá-lo embora nesse momento.

Vejo o time ganhando uma cara com as tentativas de jogar sem um volante fixo na frente da área e sem um atacante trombador. Kaká voltando dá uma experiência importante e acho que Ronaldinho Gaúcho terá mais chances em 2013.

Como se não bastasse, não vejo como melhorar a situação com Felipão ou Muricy. Os dois técnicos vivem fases péssimas. Um foi demitido de um time na zona de rebaixamento do Brasileirão. O outro, atrapalhado pela ausência de seu maior craque na maior parte do ano, faz uma campanha medíocre em 2012.

Nenhum dois dois prega pela qualidade de jogo. Lembramos que em 2002 fomos penta jogando com três na zaga e dois volantes “burucutus” como dizem. Muricy Ramalho é adepto da velha tática de jogar a bola pra área e esperar que alguém cabeceie pra dentro do gol.

Sem nenhum demérito a essas visões do futebol, mas qualquer um seria a mudança drástica no estilo de jogo da Seleção a menos de dois anos da Copa. Não penso que essa seria a melhor saída.

Mudar o comando nesse momento seria uma medida “populista” da CBF. Uma jogada pra torcida. Pode ser que renove a paixão do torcedor por mais algum tempo, um sopro de esperança. Mas será que valerá a pena depois que o entusiasmo passar? Duvido muito.

Bruno Pavan

bruno.pavan@yahoo.com.br

bruno.pavan@andressoares.com