Destaque Notícias

GAVIÃO KYIKATEJÊ

O nome pode ser difícil, mas entrou para historia do futebol brasileiro. Gavião Kyikatejê é o primeiro time oficial indígena registrado na CBF e na FIFA, a disputar a primeira divisão do futebol paraense.

Confira na matéria:

O Brasil já tem um clube de futebol profissional de origem indígena. É o Gavião Kyikatejê Futebol Clube, de Bom Jesus do Tocantins, cidade à beira do rio Tocantins, a 480 quilômetros de Belém, capital do Pará.

O Gavião Kyikatejê estreou no Campeonato Paraense no domingo, 12 de janeiro, perdendo para o tradicional Paysandu, de Belém, por 2 a 1. Mas o resultado foi o que menos importou; o que deve ser destacado é a luta que os idealizadores deste clube travaram até colocar o Gavião na elite do futebol do Pará.

O jornal esportivo Lance e a sua edição virtual Lancenet, além do jornal paraense O Liberal, destacam que a ascensão do Gavião Kyikatejê é uma vitória do presidente do clube, Zeca Gavião, cacique da aldeia Kyikatejê. Este nome significa, na língua Timbira Oriental, da família linguística Jê, “povo do rio acima”.

Até 2009, o Gavião era um clube amador. Naquele ano, o hoje presidente Zeca era o treinador da equipe. Com o trabalho que desenvolveu no time, antes conhecido como Castanheira Esporte Clube, Zeca tornou o Gavião Kyikatejê vice-campeão da Segunda Divisão do Campeonato Paraense e também vice da Divisão de Acesso ao Campeonato Estadual da Primeira Divisão de 2014.

Antes do jogo contra o Paysandu, no domingo, os índios da tribo Kyikatejê fizeram uma cerimônia com danças rituais e cantaram o Hino Nacional Brasileiro com os versos na língua Jê.

fadebate_jogoxpaysandu

Os comentaristas apontaram o atacante Paulo Aritana Sempre, o Aru, de 27 anos, como o grande destaque da partida. Ele é um dos três índios do elenco titular e marcou o gol da equipe contra o Paysandu. Ele teve de tirar o cocar que usa habitualmente, mas foi autorizado a jogar com o corpo todo pintado.

Ao final da partida, a equipe do Gavião foi intensamente aplaudida por índios e não índios. Em entrevista ao jornal Lance, Zeca narrou a história do Gavião e disse que o time anteriormente contava com índios de diversas tribos e disputava campeonatos amadores. Ele juntou os talentos, reforçou com alguns brancos e conseguiu chegar à elite do futebol paraense.

A meta de Zeca Gavião, agora, é obter o apoio de alguma grande empresa para que o Gavião Kyikatejê possa se firmar de vez no futebol brasileiro.

Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/2014_01_15/Gaviao-Kyikateje-o-primeiro-time-de-origem-indigena-no-Brasil-disputa-o-campeonato-de-futebol-do-Par-8682/

 

Essas são historias que só podem acontecer nesse nosso Brasil imenso farto em terras, alimentos e com muito historia ainda par ser contada e vivida por esse povo sofrido que nós momentos mais difíceis, sorriem levantam a poeira e dão a volta por cima.

E VIVA AO BRASIL!!

andre_fadebate