Colunista Fúria Destaque

GUERRERO PEGO NO EXAME ANTIDOPING

Olá, caros internautas! Nesta sexta-feira uma notícia caiu como uma bomba para o futebol sulamericano: Paolo Guerrero foi pego no exame antidoping por uso de droga social. O que acontecerá nos próximos dias e o quão grave foi o que aconteceu de verdade?

Após o final de toda partida um jogador é sorteado para comparecer no exame antidoping, este teste detecta uso de substâncias proibidas ou quantidades proibidas de substâncias que possuem sinal verde para utilização. Como assim? Digamos que a substância fictícia chamada X tenha aprovação para que apenas 150 ml sejam utilizados. Caso o jogador utilize 5 ml a mais do permitido é caracterizado doping e o jogador precisa ser suspenso. Ou então o atleta passa por um determinado processo que faz utilização de medicamentos que, em sua composição, tenham algum elemento não permitido. Como no caso do atacante Alecsandro, hoje no Coritiba, ou da ex-atleta Maurren Maggi.

 O caso de Paolo Guerrero pode se assemelhar ao do goleiro Zetti. Pra quem não lembra quando Zetti jogava pelo SPFC, o goleiro foi acusado de utilizar cocaína no antidoping, porém o que aconteceu de verdade foi que ele tomou chá de coca.

CASO GUERRERO

O caso de Paolo Guerrero alega que o atleta fez uso de uma determinada droga social. Até agora não sabemos qual foi, sendo que as especulações vão de chá de coca até mesmo cocaína. É importante aguardar o passar dos dias, pois não seria a primeira vez que o exame antidoping acusa alguém injustamente. Vamos relembrar alguns casos?

Dagoberto – Quando jogava pelo SPFC o atacante Dagoberto pediu para o treinador o tirar da partida, pois estava com medo de ser sorteado no exame antidoping. Perguntado o porque, Dagoberto comentou que havia tomado uma aspirina no dia anterior ao da partida e que isso poderia caracterizar doping.

Maurren Maggi – A atleta foi suspensa por utilizar um determinado cicatrizador após sessão de depilação, que continha clostebol, substância proibida pela entidade. Maurren ficou suspensa por dois anos.

Fabio Cannavaro – O defensor italiano foi flagrado com cortisona em sua urina, substância proibida detectada no exame antidoping. Fabio alegou ter utilizado antialérgico após ser picado por uma abelha.

Romário / Alecsandro – Os dois centroavantes possuem este caso em comum. Em 2007 o baixinho foi pego no antidoping por finasterida, substância proibida mas que compões tônico capilar para tratamento anti calvície. Mesmo caso de Alecsandro, hoje no Coritiba.

Futebol Alegria e Debate, o seu portal do esporte.

Abraços,

Twitter : @O_Milanista

Instagram: @henrique_omilanista