Colunista Fúria Destaque

QUANTO TEMPO DE RENOVAÇÃO?

Olá, caros internautas! Após um período sem escrever para vocês, hoje retorno – na maior cara de pau – com uma matéria falando sobre o Milan. Não poderia ser diferente.

Desde que o Milan iniciou um processo de reformulação na sua estrutura, em abril de 2017, o clube sofreu drásticas mudanças, mas o time ainda passa dificuldades no Calcio e em alguns clássicos. Para a temporada de 2017-2018 foram apenas um sexto lugar na Serie A e a segunda colocação na Coppa Italia, perdendo a final para a Juventus por um sonoro placar de 4-0 para a Velha Senhora. Li Yonghong, o chinês que comprou o clube, viu sua empresa de fachada abrir falência e o Milan se viu novamente com futuro incerto. Porém um grupo americano detém os direitos da Associazone Calcio Milan agora e viu investimentos ainda melhores serem feitos, aproveitando a ida de Cristiano Ronaldo para a Juventus e trazendo o Gonzalo Higuaín além de mais uns outros nomes não tão notáveis assim.

Alguns jogadores já, de certa maneira, antigos no clube ganham cada vez mais espaço e abrem concorrência de peso para os novatos. O turco Çalhanoglu perde vez para o espanhol Suso, que joga cada vez mais e se destaca pela velocidade, dribles e chutes de fora da área. Gennaro Gattuso assumiu o comando técnico da equipe após a demissão de Vicenzo Montella, mas insistiu no erro do 4-3-3 até perder para a Internazionale pelo placar de 1-0. Para o jogo de domingo agora (28) o Milan foi de 4-4-2 e venceu a Sampdoria pelo placar de 3-2 e com identidade italiana.

SOBRE O JOGO

Milan-Sampdoria

Data: 28/10/2018

Local: San Siro

Gols: Cutrone, Higuaín e Suso (Milan); Saponara e Quagliarella (Sampdoria)

Como vocês puderam ver nos dados do jogo, o Milan teve posse de bola de 45%, enquanto a Sampdoria deteve 55% do tempo de bola. O DNA italiano que eu falo é pouca bola no pé e muito chute a gol. Faltou apenas a trinca italiana dos 3 zagueiros, pode ver que o Milan passou sufoco na zaga por que nomes já rodados como Quagliarella e Saponara – ex-Milan aliás – sabem qual é o caminho do gol: em cima do lateral Calabria. E Gattuso demorou para substituí-lo, por outro lado seu substituto foi Ignazio Abate que também não é lá essas coisas. Valeu o resultado, logo mais tem jogo contra a Genoa no dia 31 às 16h30, horário de Brasília, em partida válida pela Serie A. Mais um jogo no San Siro para o Milan reforçar a ideia da renovação, mais um degrau para voltar à janela da notoriedade pois gigante o Milan nunca deixou de ser.

Abraços,

Futebol Alegria e Debate, o seu portal do esporte.

Twitter : @O_Milanista

Instagram: @o_replicante